terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Aquário


“Eu Sou a Água da Vida que se derrama para todos os Homens sedentos”




"A ti Aquário, dou o conceito de futuro para que o Homem possa ver outras possibilidade. Terás a dor da solidão, pois não te permito personalizar o meu amor. Mas para abrir os olhos do Homem para novas possibilidades, eu te dou a dádiva da liberdade, para que em liberdade, possas continuar a servir humanidade onde quer que seja necessário.

E Aquário voltou ao seu lugar.” – In “Os Nódulos Lunares” – Martin Schulman

E chegámos ao décimo primeiro passo, penúltimo passo na nossa caminhada – chegámos a Aquário. Signo fixo de Ar, símbolo da consciência grupal, do que em cada um nos liga com todos – Universalidade.

Depois da construção das estruturas e do homem ter assumido a sua responsabilidade enquanto ser social em Capricórnio, é em Aquário que se dá a consolidação do conhecimento e a sua distribuição por todos. Aquário é o aguadeiro que transporta a água da vida para dar de beber a quem tem sede. Símbolo da solidariedade, cooperação, fraternidade – irmandade humana alimentada pela esperança de uma visão futurista de uma sociedade melhor. É em Aquário que nos damos conta também do que não funciona, do que nos aprisiona ao passado e do que está obsoleto e não contribui para o desenvolvimento da sociedade como um todo. Signo muito ligado também à ciência, àquilo que traz inovação e possibilidade de crescimento. O progresso científico e tecnológico podem libertar o ser humano da prisão que as estruturas criaram. É o progresso cientifico e tecnológico, que permite disponibilizar para todos, por exemplo, o conhecimento que só era acessível a alguns, a internet é o maior símbolo do progresso aquariano. Mas, é também um progresso cientifico e tecnológico desenfreado, não fundamentado por valores humanistas, que se torna destrutivo. Num mundo dual, a luz e a escuridão estão sempre presentes.

Signo progressista, dos ideais e das esperanças, é tradicionalmente regido por Saturno e, na visão moderna da Astrologia, também regido por Úrano, o planeta da mudança, inovação, progresso…da mente cósmica. Úrano foi descoberto em 1783, no ano em que os Estados Unidos viram reconhecida a sua independência. Em 1789, inspirada na independência dos Estados Unidos, deu-se a revolução Francesa e as três palavras que para sempre a imortalizaram são também as palavras chave ligadas a Úrano – “Liberté, Egalité, Fraternité” (liberdade, igualdade e fraternidade), frase inspirada nas ideias do filósofo iluminista suiço Jean-Jacques Rousseau. Úrano traz esta necessidade de descondicionamento, de abertura de caminho - impulso para o que Jung chamou de processo de individuação. Em astrologia, o processo de individuação é simbolizado pelo eixo Leão – Aquário – O Eu Sou ao serviço do Nós Somos. A expressão criativa individual, simbolizada por Leão, ao serviço do Todo impessoal simbolizado por Aquário. “Leão rege os reis e a monarquia; Aquário rege o homem comum e a democracia; o Sol como “rei” tem de aprender a servir o homem comum ou, na situação inversa, temos de aprender que todos trazem um “rei” dentro de si (…) Os indianos fazem isso simbolicamente quando se encontram: juntam as mãos, inclinam-se e dizem: “Namaste” (Eu inclino-me diante da divindade que há em ti). Dessa maneira, Aquário dá equilíbrio a Leão, tal como o fazem todos os signos opostos”. In O Simbolismo Junguiano na Astrologia de Alice O. Howell

Há uns meses, a propósito de Leão, escrevi; “Num tempo em que a necessidade de mudança se torna urgente, o apelo do Nós Somos é cada vez mais sentido por cada um de nós… acredito que ninguém chegará ao Nós Somos sem ter encontrado o Eu Sou. Aqui reside o grande equívoco – Ser centrado não é a mesma coisa do que ser ego-centrado. Ser auto-consciente não é a mesma coisa que ser egoísta. Ser uma expressão individualizada do Criador, ser criativo, não é Ego. Em Leão encontro o que em mim, dentro de mim, me torna especial… Só quando encontro a minha própria Luz, o Divino em Mim, posso ajudar os outros a verem a Sua. Encontro a coragem para ser a verdade de mim próprio, que me responsabiliza pelo serviço (Virgem), pela partilha do meu fogo em liberdade e comunhão (Aquário)… sem me perder. Só aí estarei pronto para me dissolver em Peixes.”

Aquário simboliza o cidadão do mundo -  livre, fraterno, independente, intuitivo, original, de mente aberta, sem preconceitos, reformista por natureza. Por isso, muitas vezes o rebelde, excêntrico… do contra. Contra o que está instituído e não funciona. Contra o que condiciona e não permite ser autêntico. Contra o que é imposto apenas porque é aceite pela maioria…. Aquário é Liberdade, é processo criativo puro e, por isso, é também Saturno, o seu co-regente tradicional, que simboliza estrutura, limite e sobretudo responsabilidade. Liberdade e responsabilidade andam de mãos dadas – Se eu sou livre, responsabilizo-me por Ser quem Sou. Se eu sou criativo, responsabilizo-me por dar forma à minha criatividade. Se eu sou livre, responsabilizo-me pela parte que me cabe no processo evolutivo do que eu chamo humanidade. Este é o “preço” da liberdade e que Saturno cobra – a responsabilidade pelo meu próprio processo, pela minha criação - de que forma o "eu sou" faz parte do "nós somos", de que forma é que o "eu sou" acrescenta o "nós somos"?


“Na mitologia grega encontramos mais matéria simbólica que nos ilumina acerca do planeta Úrano e do porquê da sua associação moderna com o signo de Aquário: Úrano é a força criativa original, que insemina incessantemente Gaia, não permitindo sequer intervalo para que as suas criações brotem do útero materno, até ao momento em que é castrado pelo seu filho, Saturno precisamente. Poderemos então afirmar que em Aquário se encena este conflito primordial entre a criatividade sem limites (Úrano) e a necessidade de estruturação e norma (Saturno). Criar sem finalidade, sem regra, inconsequentemente, é um processo caótico. É necessário estabelecer um propósito para a criação, que forçosamente irá definir limites, mas que proporcionará um sentido, uma estrutura organizada e coerente - um cosmos.” Astrologia Jorge Lancinha


Comecei este texto com uma pequena parte da alegoria que vem nos Nódulos Lunares de Martin Schulman… “Terás a dor da solidão, pois não te permito personalizar o meu amor” – Aquário é um signo de Ar e o Ar é o mundo das ideias arquetípicas – Aquário simboliza este “mundo” de ideias abstractas, impessoal. Ergue bandeiras em nome de causas, ideais, reformas… No meio de um grupo, sempre rodeado por uma multidão que “luta” pelas mesmas visões, pode ser um solitário… sempre adiantado no tempo, com visões universalistas muitas vezes impregnadas de uma impessoalidade fria que o tornam cego para quem tem sede mesmo ali ao lado. É aqui que entra o regente da Alma – Júpiter. Aquário é um signo do 5º Raio – Ciência e Técnica. Com Júpiter, a meta da Alma colectiva é integrar o Amor-sabedoria do segundo Raio, que deve expressar a unidade de cada um. O trabalho de Júpiter é fundir a mente e o coração para que depois se expandam ao nível grupal – na grande família chamada Humanidade.

O propósito de Aquário é ganhar consciência grupal, de modo a poder ser um aguadeiro, distribuidor de luz, da água da vida, para todos.


Palavras chave:

Independente, inventivo, visionário, progressista, original, dedicado a uma causa universal.

Imprevisível, rígido, rebelde, radical, excêntrico, individualista, contestatário


Lua Nova de Aquário

 Lunação – Ritual

"O relacionamento do sol e da lua desenrola-se de acordo com um padrão ondulado de aumento e diminuição da luz, ou separação e retorno da lua para o sol. O ciclo começa na lua nova, quando a lua está perdida no brilho do sol." In O ciclo de Lunação - Dane Rudhyar

 Na astrologia, o relacionamento do sol e da lua é o arquétipo base para todos os relacionamentos entre planetas. A relação sol-lua passa por diversas fases durante o ciclo.

 Na lua nova, a lua é impregnada pela energia vital solar. Como nos diz Rudhyar, "O sol liberta a sua emanação espiritual por ocasião da lua nova". Um novo ciclo de experiência começa, por isso, é um bom momento para rever os nossos compromissos e estabelecer objectivos.

Durante os três dias que antecedem cada lua nova, a fase balsâmica da lua, podemos libertar o excesso de peso que trazemos às costas na nossa "mochila". É uma fase de meditação, de reflexão sobre o que temos que libertar porque não faz falta para o ciclo que se vai iniciar.
 Assim, na lua nova, temos a oportunidade de nos alinharmos com a energia que está a ser libertada. É altura de lançar sementes. É o início de um novo ciclo e, portanto, uma excelente oportunidade de estabelecermos objectivos de acordo com o que o Céu propõe.

“O período da lua nova pode ser um ponto apropriado para se iniciar novas actividades, promover reorientações pessoais interiores, e tomar novas direcções.

O desafio com que nos confrontamos na lua nova é a expressão da nossa natureza em actividade, principalmente em movimento para fora de nós mesmos em direcção ao ambiente. Isto pode incluir o vislumbre do que desejamos manifestar em nossa vida, a perspectiva do caminho que vamos seguir, tomando as decisões para mudar áreas insatisfatórias de nossa vida e empreender novos começos. É uma fase de renovação, e é esta energia que podemos utilizar para auxiliar as nossas tentativas de mudança.

Esta energia de renovação reflectida pela lua nova irá estimular a área denotada pela casa onde ela está colocada e especialmente qualquer planeta em aspecto, seja natal ou transitório. A energização da casa onde a lua nova está posicionada pode oferecer o potencial de renovação nesta esfera particular da vida, seja de estimulação de acções ou decisões esclarecidas, ou de conscientização do seu significado na vida individuo. (…) A activação dos planetas natais pelos aspectos com a lua nova é muito importante, especialmente os contactos de conjunção, quadratura e oposição, quando as tendências, qualidades e potenciais dos planetas natais envolvidos são activados em vitalidade renovada. Isto pode significar que o planeta é realçado na psique pessoal, movendo-se para o primeiro plano da consciência e tendo o seu papel mais influente ao retransmitir mensagens à consciência ao tentar instigar mudanças necessárias, reequilibrando ou indicando novas direcções, a fim de evocar o seu próprio potencial. (…) A conjunção permite que façamos uma conexão interior mais profunda com o planeta contado, e isto libertará um novo impulso, que vai crescer e emergir lentamente na consciência. (…) Com os aspectos de conjunção formados pelas lunações (lua nova ou cheia), a ênfase é colocada na expressão ou vivência desta energia planetária em especial. (…) O ponto essencial a ser lembrado na fase da lua nova é que o ciclo está sendo renovado; é uma oportunidade para mudar, redireccionar, de clarear as intenções pessoais em relação ao planeta, casa e signo particularmente envolvidos. (…)” In A Rainha da Noite – Explorando a lua astrológica – Haydn Paul

Como fazer?

Mensalmente, depois da lunação (e nunca antes), tem mais ou menos 8 horas para formular os seus objectivos.

Comece por anotar a data e a hora, o signo em que ocorre a Lua Nova, a casa astrológica do seu Mapa Natal em que se dá a Lunação e os aspectos que faz aos planetas do seu Mapa astrológico. (no final do texto, encontra uma brevíssima descrição de cada casa astrológica)

A abundância nasce da gratidão e, por isso, antes formularmos os objectivos de cada lua nova, temos oportunidade de agradecermos o que queremos que termine na nossa vida em relação a essa energia (signo), experiência de vida (casa astrológica) ou parte de nós (planeta). A melhor altura para o fazer, é durante a fase balsâmica da lua, ou seja, nos dois dias e meio que antecedem a lunação. Consciencializamos, reflectindo sobre o que vivemos, o que aprendemos, quais foram os maiores desafios e as maiores conquistas, o que queremos que continue e o que queremos deixar para trás. É um bom momento para reconhecer, aceitar, agradecer e “deixar ir” o que já não contribui para crescer - pensamentos, emoções, ressentimentos, comportamentos, relações, medos, padrões… - e que continuamos a manter na nossa vida. Que tal tirarmos uns minutos e ritualizar o momento? Acendendo uma vela... meditando... orando... escrevendo.... encerrando ciclos. Agradecemos o propósito que teve na nossa vida, e deixamos ir.

Depois da lunação

 É então tempo de criar, formular objectivos, lançar sementes, deixar entrar o novo. Este é o momento para escolher quem quer ser!

Ritualizando o momento

Não se apresse e dedique algum tempo mensalmente para este ritual… o mais importante é consciencializar que está a alinhar-se com o Universo. Por isso, pense no que realmente QUER, no que realmente é importante para o seu caminho, para cumprir o seu propósito. Medite sobre cada objectivo e sinta se está em consonância com o seu ser profundo. Escreva cada um deles (pode mesmo ter um caderno especial que usa só para este efeito). Acenda uma vela. Visualize os seus objectivos, um a um, como se estivessem a acontecer AGORA. Formule os objectivos de acordo com as chaves para uma boa formulação de objectivos. (*)

Aquário – “Eu vejo o todo em movimento” – Impulso para a liberdade, individualismo, diferença (às vezes excentricidade”. Espírito de grupo no sentido da procura de um ideal – o grupo é maior do que a soma de todas as partes. Palavras-chave: Independente, inventivo, visionário, progressista, original, dedicado a uma causa universal.

Imprevisível, rígido, rebelde, radical, excêntrico, individualista, contestatário


(*)

Cinco princípios para o sucesso

1 – Ter um objectivo.

2 – Acção. Obviamente, se soubermos o que queremos mas não agirmos, nada acontecerá.

3 – Acuidade sensorial

4 – Flexibilidade comportamental – ter a capacidade de fazer alterações no próprio comportamento e estado a cada momento.

5 – Operar a partir de uma fisiologia e psicologia de excelência. Pense no que quer, preste atenção à sua mente e tenha a certeza de que a sua fisiologia é poderosa e positiva.


Sempre que estabelecer um objectivo, deve ter em atenção as condições para uma boa formulação de objectivos.

O que é um objectivo?

Um objectivo é um programa neurolinguístico que tem como fim instruir e dirigir o sistema neurológico na realização do acontecimento que se deseja.

Condições para objectivos bem formulados

1-            Expresso de forma positiva

2-            Iniciado e mantido pelo próprio

3-            Descrição específica e sensorial do objectivo e os passos necessários para lá chegar.

4-            Ecológico (congruente, alinhado consigo)

5-            Mais de uma forma de chegar ao objectivo.

6-            Específico e atingível

7-            Aumenta a capacidade de escolha?


Objectivos  SMART

Specific (simple)

Measurable (Meaningful to you)

As if now

Achievable

All Areas of your Life

Realistic

Responsible/Ecological

Timed

Toward what you want



Vera Braz Mendes


5 comentários:

  1. =) Devias ter posts mais regulares que há muita -----> Gente <------- que adora ler-te e aprender contigo.

    <3 Feliz Lunação

    ResponderEliminar
  2. Há algum tempo atrás tinha lido o post sobre Leão, reli-o hoje e lembrei-me de procurar se haveria algo sobre Aquário que, embora interceptado, é o meu signo.
    Adorei ler e sobretudo acho que aprendi muito com este post.
    Gostaria de deixar aqui o meu agradecimento e, se possível, o pedido de mais partilhas que me permitam (e mim e a todos que as leiam) maior conhecimento e sabedoria. Obrigada
    Abraço de luz

    ResponderEliminar
  3. Ah! Esqueci-me de dizer que passarei a ser uma seguidora assidua e fiel deste Blog :-)

    ResponderEliminar