terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O Amor Maior

"É preciso validar a nossa criança interior, é preciso validar a sua dor para podermos encontrar a sua alegria, a sua criatividade, todo o seu potencial"





“…I found the greatest love of all inside of me. The greatest love of all is easy to achieve, learning to love yourself, it is the greatest love of all.” (Eu encontrei o maior amor de todos dentro de mim. O maior amor de todos é fácil de alcançar, aprender a amar a si mesmo é o maior amor de todos). The greatest love of all – Whitney Houston


Faz hoje um ano que Whitney Houston morreu. Nessa altura escrevi este texto que hoje republico.
Mesmo quem não gosta do tipo de música, não fica indiferente à voz. Eu também não fico. Gosto muito de Whitney Houston.

Não me lembro quando foi a primeira vez que ouvi esta canção, The greatest love of all, mas sei que me emociono sempre com a letra. “Learning to love yourself it is the greatest love of all” (aprender a amar a si mesmo é o maior amor de todos). Olhando para vida de Whitney, possivelmente ela não foi capaz de o fazer, não foi capaz de encontrar o maior amor de todos. Nem sempre é assim tão fácil. Deixamos que demasiadas sombras tapem a nossa luz, ou tentamos levar a vida a negar que a sombra também existe em nós. E tudo aquilo que não somos capazes de aceitar como uma parte nós acaba por ganhar demasiada importância, passa a dominar a nossa vida. Começa a espreitar em cada esquina, em cada relacionamento. Carl Jung afirmou; “Uma pessoa não se torna iluminada a imaginar figurinhas de luz. Uma pessoa torna-se iluminada ao tornar a escuridão consciente”. Este tornar a escuridão consciente é darmo-nos a nós próprios a oportunidade de levar luz à nossa escuridão, em vez de nos identificarmos com ela ou fingirmos que não existe. Muitas vezes passa por sermos capazes de objectivar a nossa própria subjectividade. Perdemo-nos na nossa subjectividade e é necessário ganharmos a capacidade de nos dissociar, olharmos de fora. Outras vezes, passará por deixar de lado tanta objectividade e permitirmo-nos sentir. Todos somos diferentes. Todos nascemos brilhantes.

Em todos nós vive uma criança formada a partir das memórias das nossas vivências pessoais. É a nossa criança interior. No fundo, a criança interior representa a forma como percepcionámos o mundo, como recebemos o mundo. A criança interior é aquela que ficou registada no nosso inconsciente a partir da nossa memória das vivências pessoais. Todos queríamos ser especiais para as pessoas que amávamos. Todos queríamos colo. Todos queríamos protecção. E há aqueles que tiveram e nunca chegava, queriam sempre mais. E há aqueles que pouco ou nada tiveram e habituaram-se a isso, como se não merecessem. Muitas vezes, não tem a ver com aquilo que nos foi dado, tem a ver com a maneira como por nós foi recebido e o que fazemos com isso, de que forma é que utilizamos as experiências para alavancar a vida. Todos somos humanos, ninguém teve pais perfeitos, andou numa escola perfeita ou se relacionou com seres perfeitos. De uma forma ou de outra, em maior ou menor grau, muitos se sentiram mal-amados, negligenciados, excessivamente criticados, rigidamente disciplinados, ou superprotegidos ou…ou...ou. .

Os aspectos vulneráveis e carentes da criança que fomos um dia levam-nos a desenvolver maneiras de nos protegermos e compensar necessidades que não foram preenchidas. Nós crescemos, tornamo-nos adultos, mas essa criança com necessidades não preenchidas continua lá, não cresce. E é essa criança ferida que aparece em muitos momentos da nossa vida, em muitos relacionamentos. O mundo é um espelho. Quando estamos num relacionamento que nos devolve uma imagem de nós distorcida e pequenina, a pergunta não é “ porque é que a outra pessoa faz isto?” A pergunta é “o que é que me leva a estar com uma pessoa que me diminui e distorce o tamanho?” As respostas vão ser variadas. Não há boas ou más respostas.

É preciso validar a nossa criança interior, é preciso validar a sua dor para podermos encontrar a sua alegria, a sua criatividade, todo o seu potencial. É preciso encontrar a nossa criança Divina. Acredito que é absolutamente necessário amá-la. É aqui que encontramos o Amor Maior, dentro de nós próprios. Amarmo-nos, aceitarmos toda a nossa luz e toda a nossa escuridão, é sem dúvida o maior Amor de todos. E esta aceitação abre espaço para sermos o que viemos para Ser.


Exercício:

Há muitas formas de entrarmos em contacto com a criança interior. Escolhi uma pequena meditação. Um exercício simples para começares.

Senta-te ou deita-te confortavelmente. Inspira profundamente e expira. Relaxa cada parte do teu corpo.

O objectivo é encontrares-te a ti mesma, quando eras criança, em algum lugar. Essa criança pode estar a brincar no jardim, na praia, em casa… Pode estar a rir, chorar, mal-humorada, feliz. Chama essa criança da maneira que te chamavam quando eras pequena. Conversa com ela, ouve-a. O que é que ela precisa? Pergunta-lhe. Brinca, abraça-a, canta-lhe. Dá a essa criança o que ela mais precisa. Quando perceberes que a criança ficou satisfeita, volta ao aqui e agora.




 
 
 

Greatest Love Of All

I believe that children are our future,
teach them well and let them lead the way.
Show them all the beauty they possess inside,
Give them a sense of pride...To make it easier.
Let the children's laughter,
remind us how we used to be.
Everybody's searching for a hero,
people need someone to look up to.
I never found anyone who fulfilled my needs...
A lonely place to be, and so I learned to depend on me.
I decided long ago, never to walk in anyone's shadow,
If I fail, if I succeed at least I live as I believe.
No matter what they take from me,
They can't take away my dignity...
Because the greatest love of all is happening to me.
I've found the greatest love of all inside of me.
The greatest love of all is easy to achieve
Learning to love yourself, it is the greatest love of all.
And if by chance that special place,
that you've been dreaming of,
leads you to a lonely place
Find your strength in love.
 

(tradução)

Acredito que as crianças são o nosso futuro,
Ensinem-nas bem e deixem-nas liderar o caminho.
Mostrem-lhes toda a beleza que elas têm por dentro,
Dêem-lhes um senso de orgulho…Para facilitar.
Deixem que o riso das crianças,
nos lembre como costumávamos ser.
Toda a gente procura um herói,
as pessoas precisam de alguém para se espelhar.
Eu nunca encontrei ninguém que preenchesse as minhas necessidades….
Um lugar solitário para estar e por isso
aprendi a depender só de mim.
Decidi há muito tempo nunca andar à sombra de alguém.
Se eu fracassar, se eu for bem sucedida
pelo menos vivo da forma que eu acredito.
Não importa o que tirem de mim,
não podem tirar a minha dignidade…
Porque o melhor amor de todos
está a acontecer comigo.

Eu encontrei o melhor amor de todos
dentro de mim.
O melhor amor de todos
É fácil de alcançar
Aprender a amar a si mesmo
é o melhor amor de todos.
E se por acaso esse lugar especial,
com que tens sonhado,
te levar para um lugar isolado (só)
Encontra a tua força no amor.


 
Vera Braz Mendes
 
 

6 comentários: