quinta-feira, 31 de maio de 2012

Eclipse Lunar - Oportunidade Para Ser




Eclipse Lunar – Oportunidade para Ser






No próximo dia 4 de Junho vai ocorrer um eclipse parcial da Lua, com a lua no grau 15 de Sagitário e o Sol no grau 15 de Gémeos. Um eclipse lunar ocorre por ocasião da lua cheia assim como o eclipse solar por ocasião da lua nova.
No eclipse lunar, Sol, Lua e Terra estão alinhadas entre si e a Lua fica imersa na sombra umbral da Terra. A Terra fica entre o Sol e a Lua. A Lua, não possuindo luz própria, vai buscar o seu brilho à luz solar. Quando a Terra passa entre os dois astros não deixa que a luz do Sol chegue à Lua. A Lua fica oculta.

O Eclipse parcial do próximo dia 4 de Junho vai ser visível na Austrália e Oceano Pacífico.

Para os antigos, eclipses eram razão para grande temor e sinal de catástrofes. Hoje em dia, embora os eclipses continuem a ser ligados a momentos de crise onde muitas vezes escolhas têm de ser feitas, a nossa percepção mudou e percebemo-los como pontos focais de evolução.

Num eclipse lunar a lua é literalmente apagada. A lua, a parte de nós ligada ao inconsciente, às emoções, ao passado, a parte de nós carente que reage em busca de segurança, é apagada. Num eclipse lunar o Sol prevalece sobre a Lua. Simbolicamente, é um momento de pura criação. A ocultação da lua permite criar um estado novo na nossa consciência. Dá-nos a real possibilidade de subirmos degraus na escada do nosso destino. Com a ocultação da Lua é como se a memória não funcionasse permitindo-nos vibrar, durante algum tempo, livres das experiências passadas, livres de padrões que nos sufocam e condicionam o crescimento. Estando a minha memória apagada durante algum tempo, o que ganha força é o presente, o aqui e agora. A Terra, o presente, cobre a lua, o passado, criando e abrindo espaço para ser quem sou, o Sol, futuro. Este apagão lunar possibilita a criação de um estado novo. No momento em que a minha memória se desliga, há também uma série de condicionamentos activados constantemente por ela que são também desligados. Este descondicionamento, em última análise, permite-me Ser Mais.

Como a Juliana Estevez afirmou num seminário sobre eclipses que assisti há uns anos atrás; “Entre a ideia de que tenho que agir para construir o meu destino, ou tenho de aceitar passivamente aquilo que fui e sou e incorporar o que for que a vida me trouxer, entre estas duas polaridades, existe o caminho do meio”. O eclipse lunar é o momento onde existe a possibilidade de integrar de uma forma equilibrada, as forças do Sol e da Lua, integrar forças opostas que muitas vezes provocam conflitos, e percebê-las como forças complementares. Há um confronto entre o passado e o futuro, abrindo real possibilidade para que o presente se cumpra por inteiro, de forma a que todo o potencial se realize num futuro próximo. Alguma “tampa” é retirada dando-me a possibilidade de resolver, dissolver, desconstruir velhas cristalizações, sentimentos e condicionamentos antigos aos quais estou apegada porque me dão segurança mas que impedem a minha evolução. Este processo muitas vezes não é consciente. Muitas vezes também não é um processo tranquilo... não estamos habituados ao descondicionamento e, por outro lado, há quem não saiba lidar com ele. Há pessoas que são mais influenciadas pelo eclipse porque cai num ponto essencial do mapa. As casas onde aparece o eixo Gémeos/Sagitário no nosso mapa vão ser activadas pelo eclipse, assim como planetas que estejam principalmente nos signos mutáveis (Gémeos, Sagitário, Virgem e Peixes).
Embora este eclipse seja parcial, não tendo tanta força como um eclipse total, não posso deixar de lhe dar significado e um significado muito positivo e potenciador, porque não posso não deixar de o relacionar com a Vénus Cazimi, acontecimento de dia 6 de Junho sobre o qual escrevi no artigo Vénus - Amor no Coração do Sol. Vejo o eclipse como uma preparação para que o evento de Vénus seja ainda mais brilhante. Podem também ler sobre a Lua Nova de Gémeos e o eclipse solar (que aconteceu no dia 20 de Maio) aqui

No eclipse de dia 4, devemos estar atentos a tudo o que passar na nossa mente; insights, decepções, ideias, decisões… porque vão ser profundamente desenvolvidas nos próximos meses depois do eclipse e até ao próximo eclipse lunar. É como se alguma coisa se revelasse, trazendo algo que é essencial para a integração das energias opostas e por isso complementares. O impulso para novas possibilidades pode guiar-nos e libertar-nos porque o peso da memória, do medo, é ocultado.


Grau ocultado pelo eclipse

15 Sagitário

“A marmota procurando sua sombra no dia da marmota, 2 de Fevereiro

Ideia Básica: O valor da antecipação de novo rumos dos eventos e da determinação de perspectivas futuras.

Em nossa moderna sociedade industrial, em que as mudanças e as decisões de política com frequência requerem vários anos até alcançarem sua plena realização, tornou-se essencial planear levando em consideração os prováveis desenvolvimentos futuros. Esse planeamento exige um estudo das tendências passadas e extrapolação dos resultados. O símbolo implica, acima de tudo, uma sensibilidade para com os ritmos sociais ou planetários, bem como a necessidade de garantir uma segurança pelo menos relativa por meio do planeamento que considere o futuro.
…Há algo dos significados dos quatro primeiros estágios envolvidos no processo que ele sugere. Em sua forma mais elevada, o conhecimento requerido é “consciência eónica” -, em termos modernos, a nova ciência Prospectiva”


Grau do Sol

15 Gémeos
“Duas crianças holandesas conversam entre si, trocando conhecimentos.
Ideia básica: A necessidade de esclarecer as próprias experiências por meio de contactos reais com indivíduos que pensem da mesma maneira.

… As experiências transcendentais e as faculdades paranormais devem ser testadas e esclarecidas através de meios normais e colectivamente experimentados de comunicação – o que pode significar: por meio de procedimentos científicos. As “crianças holandesas” parecem ter sido introduzidas pela mente subconsciente da formuladora do símbolo em razão de uma associação com a lisura e o espírito aberto de discussão que prevalece na Holanda. Elas são “crianças” porque as novas experiências ainda são muito frescas e requerem esclarecimento; isso exige uma mente limpa e aberta, ansiosa por testar aquilo que é experimentado numa troca de pontos de vista com os pares.

Este é o último estágio da décima quinta sequência quíntupla de símbolos. Ele fecha a cena da “descoberta”. Toda a descoberta deve ser testada, devendo ter sua validade verificada. Nas velhas culturas tribais, os “grandes sonhos” de um homem eram aceites como válidos e produziam uma acção correspondente apenas quando os companheiros de tribo tivessem um sonho semelhante. A necessidade de objectividade tem de ser satisfeita; isso implica a confirmação de tudo o que for compreendido subjectivamente a partir de alguma experiência semelhante. Implica ainda o tipo de dualismo inerente a todas as experiências, assim como conceitos, de natureza mental.”


In Uma Mandala Astrológica – Dane Rudhyar


Vera Braz Mendes

11 comentários:

  1. Vera,

    Gostei muito do artigo. Curiosamente, eu estava a escrever um apontamento, que adaptarei para partilhar aqui e agora, pois parece-me oportuno.

    No dia 4, o céu estará dominante em signos Mutável: Sol, Vénus e Mercúrio em Gémeos; Lua em Sagitário; Eixo Nodal em Gémeos/Sagitário; Marte em Virgem; Neptuno e Quíron em Peixes. Com o planeta Terra em Sagitário. Muito forte, não acha?

    Parece-me que o céu quer recordar-nos um valor importante nesta fase do nosso desenvolvimento colectivo: a «flexibilidade».

    As mudanças estão a ocorrer com enorme rapidez. Por exemplo: em questão de horas, um enorme banco cai e ocasiona um desastre financeiro épico.

    O céu cada vez mais exige de nós, a capacidade de nos adaptarmos, com consciência, com sabedoria, para «Sermos» nós mesmos, sem nos fazermos valer do que «Temos». É mais importante eu «Ser» competente no que faço [Virgem], do que gabar-me de «Ter» um fabuloso carro, que nem sei utilizar.

    Gostei muito do conceito de «desligar» a Lua. :))

    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário. Muitíssimo esclarecedor. E sim, concordo plenamente , é necessário flexibilidade, só assim nos abrimos.

      Mais uma vez obrigada pelas sábias palavras que muito acrescentam ao texto.

      Eliminar
  2. Bom dia vera!
    Achei incrível que ontem à noite, conversando com o meu filho do meio Marcelo, estávamos falando exatamente sobre o que disse aqui:
    "Num eclipse lunar a lua é literalmente apagada. A lua, a parte de nós ligada ao inconsciente, às emoções, ao passado, a parte de nós carente que reage em busca de segurança, é apagada. Num eclipse lunar, o Sol prevalece sobre a Lua. Simbolicamente, é um momento de pura criação. A ocultação da lua permite criar um estado novo na nossa consciência. Dá-nos a real possibilidade de subirmos degraus na escada do nosso destino. Com a ocultação da Lua, é como se a memória não funcionasse, permitindo-nos assim vibrar, durante algum tempo, livres das experiências passadas, livres de padrões que nos sufocam e condicionam o nosso crescimento. Estando a minha memória apagada durante algum tempo, o que ganha força é o presente, o aqui e agora. A Terra, o presente, cobre a lua, o passado, criando e abrindo espaço para ser quem sou, o Sol, futuro. Este apagão lunar possibilita a criação de um estado novo. No momento em que a minha memória se desliga, há também uma série de condicionamentos activados constantemente por ela que são também desligados. Este descondicionamento, em última análise, permite-me Ser Mais."
    SHOW...estou amanado aprender com você...
    Beijos
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  3. AMANDO...ops...escrevi errado..foi por empolgação!!!rsssss

    ResponderEliminar
  4. Opah!'Tou gostando da reunião aqui!

    Vera, mais um maravilhoso artigo! Amei. Obrigada pelo tanto que ensinas de coração*

    Querido António, já estava com saudades de te "ouvir". E assino por baixo de tudo o qu escreveste no teu comentário. Está tudo tão à flor da pele que não há cá tempo a perder com "pentelhos" (como diria o outro senhor...) ;)

    Abracinhos doces a todos*

    ResponderEliminar
  5. Vera,
    A eclipise do dia 4 e venus retrogado em gemeos no dia 6 de junho foi mágico na vida de um amigo ele largou a noiva no mesmo dia que conheceu uma outra nesta data. Segundo ele foi mágico e ele esta vivendo um grande amor. Mas se venus eta retrogado até quando vai essa paixão louca!!!.

    ResponderEliminar